Integrante de facção criminosa que filmou ato de tortura e assassinato de rival em Araguaína é condenado a quase 18 anos de reclusão

Aconteceu na manhã desta terça-feira, 10, em Araguaína, o Tribunal de Júri de Flávio Barroso Lopes, vulgo Sucesso, pelo assassinato de Mateus Almeida da Silva. O crime aconteceu em março de 2018, e ganhou muita repercussão devido à crueldade empregada por Flávio, que além de registrar cenas  de tortura e do assassinato da vítima,  divulgou o vídeo em redes sociais.

Flávio foi condenado a 17 anos, nove meses e 22 dias de reclusão, por homicídio triplamente qualificado por motivo torpe, mediante tortura e utilização de recurso que dificultou a defesa da vítima, conforme a denúncia criminal.

De acordo com a Ação Penal, o réu e a vítima integravam facções  criminosas distintas e a rivalidade entre as facções teria sido o motivo do crime. As investigações apuraram que Mateus foi capturado em um local chamado “boca de fumo”, no setor Araguaína Sul,  e levado para uma residência onde deu início à tortura com chutes, socos e golpes com pedaço de madeira e ameaçado com uma arma de fogo para que não reagisse.

Em seguida, ele teve as mãos amarradas e foi levado para uma estrada vicinal onde o homicídio foi consumado com disparos de arma de fogo que atingiram a cabeça da vítima. Durante o ato, Flávio, na companhia dos comparas ainda não identificados, exigia que a vítima declarasse palavras contra a facção à qual pertencia. Tudo foi filmado e publicado em redes sociais.

Flávio foi capturado durante perseguição policial, após roubar um veículo na cidade de Tocantinópolis. (Denise Soares)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar