Delegados de Polícia Civil do Tocantins são co-autores de livro sobre Academias de Polícia Judiciária: do Recrutamento a Formação.

Os delegados de Polícia Civil do Estado do Tocantins (PC-TO), Luís Gonzaga da Silva Neto e José Lucas Melo da Silva são co-autores do livro intitulado: “Academias de Polícia Judiciária: do recrutamento à formação. Escrito em parceria com mais 21 delegados e delegadas de Polícia Civil de todo o Brasil, o livro analisa múltiplos e importantes aspectos do trabalho policial, abordando com precisão e propriedade as etapas da formação policial, especialmente, no período da pandemia da Covid-19.

A obra abrange importantes reflexões sobre as academias de polícia judiciária, sobretudo no que diz respeito a formação continuada na investigação de feminicídios e a perspectiva de gênero e a utilização de técnicas de mindfulness nas Academias. O trabalho também destaca a experiência de alunos do curso de formação na Delegacia de Defesa da Mulher on-line, os desafios na formação policial, os direitos humanos, a readequação dos processos seletivos e a formação dos policiais.

O livro explora ainda aspectos sobre o direito policial nas matrizes curriculares do ensino jurídico no país, o paradoxo das polícias judiciárias e da militarização, o curso de formação de delegado de polícia e o caráter híbrido do referido cargo. Além dos temas já referidos, a obra aborda a dinâmica dos crimes cibernéticos, a ressignificação da formação policial civil no limiar da pós-modernidade, a infiltração policial, o despacho de indiciamento, os procedimentos operacionais padrões (pop), as inovações e superações na formação e a capacitação de policiais civis durante a pandemia de Covid-19, os desafios tecnológicos na prática da docência e o papel do delegado de polícia na persecução penal.

Ao falar de sua participação em tão importante obra, o delegado José Lucas se disse feliz e satisfeito em poder contribuir com sua experiência e também trocar conhecimentos com os demais colegas delegados de todo país.

 O cargo de delegado de polícia possui uma natureza híbrida, sendo dotado de particularidades que evidenciam seu caráter jurídico e policial. Desta forma, possuindo especial atuação em um Estado Democrático de Direito, fundamental é uma capacitação continuada e voltada às suas especificações.  A obra trata justamente desta necessidade, fazendo uma análise crítica do cenário atual e das inovações e perspectivas que devem ser implementadas desde o curso de formação inicial e acompanhar o profissional durante o desempenho do cargo.

“Em um mundo globalizado, com novas informações e tecnologias surgindo diariamente, as técnicas de investigação também carecem de aprimoramento e difusão. Assim, a obra é voltada para quem almeja ser uma autoridade policial ou mesmo conhecer mais sobre seu desempenho e preparação”, esclarece José Lucas Melo.

Na visão do delegado Luís Gonzaga, a obra é um importante instrumento que visa oferecer uma visão mais aprofundada a respeito do processo de formação policial e também a lança luz a questões sobre a persecução penal sob a ótica da autoridade policial.

 “O capítulo: O papel do Delegado de Polícia no âmbito da persecução penal traz uma visão moderna sobre o papel de referida autoridade policial no cerne da persecução penal, em que sua atuação é pautada pelo respeito aos direitos e garantias fundamentais, além da busca pela tutela dos direitos humanos. Noutro ponto, destaca-se a função de filtro do inquérito policial, buscando evitar processos judiciais desnecessários, consistindo num panorama contemporâneo do instituto processual penal em tela”, pondera o delegado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar